A Novela Continua! Acompanhe agora as desculpas esfarrapadas do INEP, e a resposta da Mãe cuja filha terá que pegar 3 onibus para fazer o ENEM devido a um erro do INEP.
Verifique aqui as denúncias recebidas
Os pais nos informam que finalmente puderam realizar a eleição do segmento pais no dia 8 de junho (por tanto com mais de 3 meses de atraso) 2000, apesar das tentativas de tumulto e de manipulação, costumeiras nesse tipo de pleito.  Felizmente, a democrácia foi preservada e dos 20 candidatos, todos de altíssimo nível, foram eleitos 10 membros efetivos e 2 suplentes.  Cumprimentamos a todos e desejamos boa sorte na sua determinação de recuperar a situação lastimável em que se econtra a escola.
Voltar ao topo da página
Leia o e-mail enviada por uma mãe à INEP contando que sua filha terá que pegar três ônibus e fazer uma viagem de mais que 2 horas porque a escola onde fará o exame do ENEM fica do outro lado da cidade.  O Pais Online pede providências já que essa aluna não pode ser prejudicada desta maneira!
Não seja pego de surpresa no final do ano, leia abaixo um caso enviado pela mãe de um aluno via e-mail que é muito comúm nas nossas escolas.  Leia também a carta enviada pelo EducaFórum à Assembléia Legislativa sobre esse mesmo assunto oferecendo uma excelente solução para o problema!.
Cuidado, a Apeoesp está utilizando métodos obscuros para induzir alunos e pais a responderem um abaixo-assinado condenando as reformas do Ensino Médio sem explicar de que se trata, inclusive ocupando o horário de aula para isso. Leia a seguir o relato de uma mãe cujos dois filhos que estudam na EEEM Brasílio Machado responderam o questionário sem saber quem o estava promovendo e para que fim.
Mais um exemplo de abuso de poder e incompetência em nossas salas de aula! Leia o seguinte caso enviado por os pais de um aluno do Ensino Médio.
Leia o depoimento da Selene Calafange sobre o desespero de não conseguir matricular seu filho por causa da ignorância e insensibilidade demonstradas pelas escolas em relação à dislexia, um distúrbio específico de aprendizagem que dificulta a leitura e escrita.
Leia a seguir a denúncia de uma mãe relatando mais um caso escabroso que mostra todo o autoritarismo e arbítrio ao qual nossos jovens estão sujeitos diariamente e que é prática comum em quase todas nossas escolas.
Recebemos da Napa denúncia de falta de vagas em classe com carteiras vazias na 8a. série do supletivo da EMEF Arthur Whitaker.  A diretora Rosa B. Palmiro diz que tem 44 alunos matriculados nesta série mas que "matriculados não quer dizer assistindo aula" e por isso teria carteiras vazias.  Então é assim que se cria as fantasmas?
Leia a seguir a denúncia de uma mãe que há três anos aguarda uma vaga na escola que fica ao lado da sua casa e cujo filho tem que estudar em uma escola que fica à 10 km de distância.
Nossos amigos do Educafórum alertam sobre a prática de formar Conselhos de Escola Fantasmos.  Você sábia que o Conselho deve ser eleito no primeiro mês letivo o ano? A sua escola fez a eleição e Conselho funciona de fato? Leia a denúncia a seguir e entre em contato conosco se você tem alguma dúvida sobre a formação ou funcionamento do Conselho!
Leia a seguir as denúncias recebidas do pessoal do Gremio - SUDESTE sobre o descalabro que se tornou a eleição do Conselho Tutelar em São Paulo!
Algumas vezes achamos que os horrores só acontecem em nosso estado mas veja a denúncia a seguir de nossos amigos da  APAAEP/Mendes/RJ e verifique que os descalabros de ai são iguais aos descalabros daqui.
Vocês nem desconfiavam, mas as nossas Leis ficam velhas, iguaizinhas ao paezinho de ontem, e depois não valem mais nada.  Sim é verdade mesmo, ou pelo menos é isso que a  secretaria de educação estadual de SP diz! Leia a denúncia do pessoal do Grêmio SER Sudeste abaixo!
A palhaçada continua, as novas eleições para os Conselhos Tutelares da cidade de São Paulo acontecem neste domingo dia 14 de abril.  Leia abaixo, sobre a ação Civil Público que pede a suspensão e anulação deste processo eleitoral!
Veja abaixo a carta enviada por pais de alunos à presidente do INEP, Maria Helena Guimarães Castro denunciando o não recebimento dos formulários do ENEM!
O que terá a sociedade civil que apavora tanto nosso ilustre secretário de educação? Não foi apenas a UPAEP (União Nacional de Pais e Amigos de Escolas Públicas) que receberam o desprezo do secretário, veja a seguir a reclamação do COEP (Comunidade de Olho na Escola Pública)
O Núcleo de Apoio a Pais e Alunos (NAPA) nos envia um caso espantoso que mostra toda a crueldade e descriminação às quais nossos alunos estão sujeitos.  Está na hora de repensar seriamente o papel de nossas escolas!
Porque o secretário Chalita não vem a publico explicar mais essa atitude autoritária digno dos tempos da ditadura da Secretaria de Educação? Em artigo publicado no Estadão dia 26/11 ele diz assim " Seria ótimo que a escola pudesse ter uma voz mais ativa desses pais, que tem críticas e sonhos em relação a unidade escolar."  É claro, a voz dos pais é fundamental, menos no OUVIDO (RIA) dele!
As autoridades dizem que os pais devem fiscalizar as escolas públicas e que a escola é da sociedade. Palavras bonitas, mas como fazer isso se essas mesmas autoridades não dão nenhum apoio aos pais que denunciam a má administração e as falcatruas que ocorrem dentro dessas escolas e tampouco mostram-se dispostas a resolver os problemas apontados? Leia a seguir a frustração dos pais que tentaram de tudo para melhor a escola das filhas e acabaram jogando a toalha em  total desespero!
Felizmente, ainda existe bons professores dentro das nossas escolas mas os bons professores também tem muito medo de se manifestar. Leia a seguir essa denúncia triste de uma escola que costumeiramente expulsa alunos mesmo sabendo que isso é contra a lei.
Recebemos toda semana uma série de denúncias horripilantes. É inacreditável que nossas autoridades educacionais não oferecem nenhum apoio aos pais ameaçados e vilipendiados dentro das nossas escolas! Veja a seguir uma denúnica sobre o pesadelo enfrentado por esses pais que ousaram a levar uma denúncia ao diretor de escola.
Muitas vezes achamos que os problemas acontecem apenas nas escolas das grandes cidades e capitais mas é comun receber reclamações e denúncias de pais e estudantes de escolas localizadas no interior de estado. Veja a seguir uma denúncia sobre 15 ilegalidades que ocorrem em uma escola na cidade de Sumaré, interior paulista. A denúncia foi encaminhada à Ouvidoria da Secretaria de Educação mas até agora não houve qualquer resposta.
Outra denúncia do interior do estado, esta vez de Santa Barbara d'Oeste. 
A diretora denunciada abaixo infringiu a Lei Federal 9.504 de 30/09/97 em seu art. 73, que prova que ela não tem a menor capacidade de estar a frente de uma escola.
Ficamos estarrecidos com a atitudade relatada abaixo dessas deseducadoras. Depois as pessoas ainda reclamam que os jovens não gostam de ler e escrever. Porque será?
Como a sra. Secretaria de Educação Prof. Maria Lucia Marcondes Carvalho Vasconcelos permite que uma diretora da rede estadual minta tão descaradamente a uma mâe de aluna. Não existe transferência por falta, alias nenhuma transferência compulsória é legal.

Perguntamos como a escola aceita uma solicitação de transferência sem ao menos verificar se o solicitante é de fato o responsável pelo aluno? No cadastro de cada aluno consta o nome e dados do responsável, não ha qualquer desculpa para o que aconteceu. É caso de demissão sumária!
Recebemos esse e-mail de uma mãe depois que ela leu uma outra denúncia semelhante aqui mesmo. A Internet é ótima agora podemos ver que os casos de corrupção, crueldade e incompetência não são isolados, pelo contrário acontecem na grande maioria das nossas escolas públicas.
No começo de todo ano letivo ouvimos a mesma história, diretores autoritários infringindo as leis federais e estaduais e cerceando o direito dos alunos de estudar, causando constrangimentos e sujeitando-os à situação vexatória, inclusive até a maus tratos e violência. Até quando a Escola Pública vai continuar como o último reduto da ditadura? Leia abaixo o depoimento do pai
O governo se gabou da adoção da escola em periódo integral, mas muitos pais estão descontentes com a maneira pela qual está sendo implementada e receiam que seus filhos estão sendo usados como meras cobaias numa experiência bastante mal sucedida até agora. Leia abaixo uma cópia da denúncia enviada a Secretaria de Educação de São Paulo que relata o occorrido na Escola Norberto Mayer Filho, no bairro da Vila Antonieta, zona leste de São Paulo.
Abaixo postamos uma denúncia recebida de uma mãe cansada de ver o falta de respeito que impera dentro da escola. Inclusive é bom falar que essa vice diretora está infringindo uma lei federal (Lei 8.069) que garante no caso da criança e do adolescente o *direito de ser respeitado pelos seus educadores*. No mínimo esperamos um bom exemplo das pessoas encarregadas da educação dos nossos filhos e não atitudes como as descritas a seguir.
Lembramos que todas as denúncias das escolas estaduais de São Paulo podem e devem ser encaminhadas ao OUVIDOR, Salmon Elias Campos da Silva que atende pelo fone 3218-2129 e 3218-8870 e por fax 3218-2128 e também através do e-mail: ouvidoria@edunet.sp.gov.br , ou no site do cidadão e pessoalmente na Secretaria da Educação, Praça da República, 53 - sala 29, São Paulo - SP, 01045-903  Você não precisa se identificar se não quiser, mas não esqueça de pedir o número do protocolo para acompanhar a reclamação e cobrar uma resposta